Como você vê a sinalização aeroportuária?

Como você vê a sinalização aeroportuária?

9048
0
Compartilhe
aeroportos

Durante um período eu participei como aluno especial da disciplina Engenharia de Tráfego na Universidade de Brasília. Além de toda a preocupação com fila, pelotões, ciclos semafóricos, traffic calming e gerenciamento de demanda, o que mais me chamou a atenção foi a Teoria dos Três “E”s, Enforcement, Education and Engineering (em português Fiscalização, Educação e Engenharia.
Este é um compilado de um artigo meu sobre Análise da Sinalização Aeroportuária através da percepção do usuário, junto com os professores Paulo Cesar Marques da Silva, Paulo Roberto Vieira de Almeida e Tafarel Carvalho de Gois, que foi aprovado no Congresso Panamericano de Ingeniería de Tránsito, Transporte y Logística (PANAM 216); além que expressarei algumas opiniões sobre a sinalização aeroportuária. Muitos costumam sempre andarem apressados e principalmente se atrasarem em seus compromissos.

Os aeroportos são espaços diferentes do cotidiano da maioria das pessoas, em lugares diferentes os níveis de estresse, ansiedade e expectativas costumam estar elevados o que pode levar a confusão e a fadiga. Atrasos por conta de perda de consciência locacional não é uma experiência interessante de se ter antes de um voo. E quando passageiros chegam estressados na aeronave, podem causar problemas de operacionalidade para a empresa aérea.

A principal função de um terminal de embarque e desembarque é de atender o número de usuários que ali passam em diferentes processos (estacionamento, check-in, despacho de bagagem, inspeção de segurança, serviços diversos, embarque, desembarque e recuperação de bagagem). Os tempos e a qualidade de cada um desses processos devem ser otimizados para que os usuários possam ter a melhor experiência possível. Afinal, aeroporto é uma empresa.

A posição em que a sinalização está disposta nos aeroportos está ligado a questões de ergonomia cognitiva, assim como suas cores, tamanho de fontes, contraste e meio no qual é impresso ou emitido por imagem digital. Assim como o ambiente, a linguagem aeronáutica é diferente, com termos linguísticos próprios, no qual deixa a mensagem enviado pelo emissor algo mais complexo para ser compreendido pelo receptor.

Reduzir o choque entre culturas, que no geral de sinalização rodoviarista com o aeronáutico deve ser debatido com os responsáveis por esta comunicação. Não há um padrão internacional ou nacional sobre o assunto, e no Anexo 2 (Regras do Ar) e no Anexo 14 (Aeroportos) as regras são padronizadas apenas para a parte operacional (pilotos, mecânicos e outros) e não para os usuários. Podemos observar que no Aeroporto de Brasília é utilizado um fundo de cor verde, o Aeroporto do Guarulhos uma base de fundo amarela, e nos aeroportos da INFRAERO as cores não são padronizadas.

A administração aeroportuária pode caracterizar esta diferença como parte da identidade visual no aeroporto, porém a diferença em um ambiente no qual a finalidade é o mesmo pode causar a confusão nos usuários. Não é uma comparação que se faz entre redes de fast foods e refrigerantes, e sim de um ambiente no qual a segurança é fundamental.

A sinalização é um assunto multidisciplinar e seu impacto está ligado na segurança dos usuários, tanto que podemos fazer uma analogia entre a Teoria dos Três “E”s (Fiscalização, Educação e Engenharia) com os pilares do Sistema de Gerenciamento da Segurança Operacional (Política em Estrutura, Gerenciamento do Risco e Garantia da Segurança).

Em 2014, quando realizei a pesquisa, em base aos resultados do Relatório de Desempenho Operacional dos Aeroportos da Secretaria de Aviação Civil extrai os resultados sobre a Facilidade de Encontrar o caminho no aeroporto, painéis de informações de voo, facilidade para realizar conexões, sensação de protegido e seguro e a satisfação geral no aeroporto, sendo separado em duas populações, as dos aeroportos concessionados e dos de administração pública.

O resultado é uma média dos anos de 2013 e 2014. Lembrando que a SAC utiliza escala Likert de 1 até 5. Sobre facilidade de encontrar o caminho no aeroporto os aeroportos públicos atingiram média maior com 4,28 e os concessionados com 4,12. Para Painéis de informação os públicos (4,1) e concessionados 4. Facilidade para realizar conexões os públicos em 4,1 e concessionados (4).

Ambiente aeroporto as médias são próximas com 4,18.E em Satisfação Geral os públicos ficaram a frente com 3.9 e os concessionados 3,6. Também tem que ser considerado que nesses anos os aeroportos concessionados passavam por obras e adequação para a copa do mundo e olimpíadas.

Então sempre fiquem de olho nos resultados do Relatório da SAC para saberem como os aeroportos estão sendo avaliados, e cobrarem dos responsáveis as melhores ações, já que todos os aeroportos são empresas, e escolherem seu próximo destino. Em trabalhos mais recentes, desenvolvi novas técnicas para analisar os resultados do relatório da SAC, com o uso de Análise de Variância e Métodos de Categorias Sucessivas.

Para ajudar a compreender a importância da opinião dos usuários do transporte aéreo recomendo a leitura das dissertações de Vladimir Lima da Silva sobre Modelo de Avaliação de Desempenho de Empresas Aéreas de Transpor te Regular de Passageiros.

O Caso Brasileiro apresentado no Instituto Militar de Engenharia em 2004, e da Paula Sutherland Wallauer Rolim sobre Metodologia de Avaliação de Fatores Determinantes no Nível de Servido Oferecido no Check-in de Voos Internacionais do Instituto Tecnológico da Aeronáutica em 2016. Agora com um pouco mais de informação, como você vê a sinalização aeroportuária?

Deixe uma resposta